terça-feira, 11 de março de 2008

Mais estacionamento no centro histórico

Foram ontem apresentados pela Câmara Municipal de Viseu os estudos prévios de dois novos parques de estacionamento subterrâneos a construir nos largos de António José Pereira, por trás do Museu de Grão Vasco, e do Jardim de Santo António, junto ao Teatro Viriato.
Os equipamentos aumentarão em 220 lugares a oferta de aparcamentos numa das zonas "mais sensíveis" da cidade de Viseu. O seu custo global está calculado em cerca de 2,2 milhões de euros.

Os quatro gabinetes de arquitectura convidados pela Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) Viseu Novo apresentaram propostas para os dois parques. Os documentos e respectivas maquetas serão analisadas na próxima semana por técnicos da autarquia e daquela empresa municipal.


"Feita a escolha da melhor solução, avançaremos para a adjudicação do projecto que deverá ser-nos entregue no prazo de 45 dias. Posto isso, estaremos em condições de proceder à abertura do concurso para o arranque das obras", explicou o presidente da Câmara Municipal de Viseu (CMV), Fernando Ruas.

Por saber ficou, para já, se a entidade adjudicante assumirá no futuro a gestão dos equipamentos.

Cada gabinete de arquitectura preparou duas soluções para cada um dos parques de estacionamento. Todas subterrâneas, à excepção de uma, de superfície, apresentada para o largo António José Pereira. Este equipamento terá duas dezenas de lugares e tem custos estimados de 200 mil euros. Fernando Ruas avisa que o estacionamento neste local, por razões "óbvias", será sempre mais caro "Não queremos os carros ali guardados durante todo o dia. Terá de haver uma rotação. E isso passa pelo preço a praticar".

No largo/jardim Mouzinho de Albuquerque, mais espaçoso, prevê-se um parque com capacidade para 200 lugares. O investimento neste caso eleva-se a dois milhões de euros. As obras integram-se no Plano Estratégico para o Centro Histórico que está a ser desenvolvido pelo Parque Expo, documento que prepara uma resposta global para a Área Crítica de Recuperação e Reconversão Urbanística de Viseu.

Estão ainda previstos mais dois parques para as ruas Capitão Silva Pereira e Maximiano Aragão.

texto de Teresa Cardoso in Jornal de Notícias (11-03-2008)

1 comentário:

BEIRÃO disse...

Espero que a requalificação do largo dos Combatentes não fique condicionada pelo mero quantitativo minimo, que permita a rentabilidade do investimento no parque de estacionamento.
É que este Largo tem memória e mal seria que o considerassem uma simples e barata cobertura de um parque de estacionamento, pese embora a evidente utilidade deste para a cidade de Viseu.