segunda-feira, 31 de março de 2008

A maior Pousada de Portugal

Pousada de Viseu

Edificada no antigo Hospital de S.Teotónio, a 5 minutos a pé do centro histórico da cidade de Viseu (a cerca de 100 km da fronteira espanhola), a Pousada de Viseu abrirá as suas portas no último trimestre de 2008.

- 84 quartos (a maior Pousada de Portugal)
- claustro com capacidade para 400 pax
- 3 salas de reuniões polivalentes
- 1º Spa da rede Pousadas (piscina interior, salas de massagens, sala de relax, ginásio, sauna, banho turco, fonte de gelo e duche tropical)
- restaurante
- bar

De todas as recordações que trouxe de Viseu, a mais preciosa é esta imagem que me vem à cabeça de manchas verde-tília, praças cheias de riso e a temeridade do herói lusitano.
Não há quem me tire da cabeça a imagem que guardo de Viseu. É um colorido renque de tílias majestosas a sombrear o Rossio e, mais abaixo, as magnólias em flor, no fim da Primavera.
É o coração da cidade, onde tudo se agita com uma nova vida desde que se requalificaram o espaço e os monumentos.
Os edifícios que traçam o centro, originários do século XIX, permanecem imponentes marcando o compasso do tempo, enquanto as ruas devolvidas aos cidadãos e as praças, cheias de gente, testemunham o sucesso do trabalho assinado por Siza Vieira e Souto Moura.
São as paisagens deslumbrantes, dentro e fora da cidade, o convite a descansar os olhos no verde das Serras da Arada, Freita, Caramulo e Montemuro ou nas cores ilimitadas das pinturas de Grão Vasco. Fica mesmo ali, à mão, no Paço dos Três Escalões, o Museu onde estão os quadros de um dos mais geniais pintores portugueses!
É a severidade e a nobreza granítica, a temeridade e persistência do guerreiro Viriato, líder da tribo Lusitana que resistia à invasão romana da Península Ibérica, cuja figura ficou indelevelmente gravada no espírito e na pedra de Viseu.
Esta imagem feita de mil experiências, emoções e até alguma imaginação, é a minha recordação de Viseu. Que bom que é poder fechar os olhos e lembrar as festas que enchem de arte os meses de Verão, os sabores de alguns dos mais reputados vinhos portugueses. Entre todas as recordações que trouxe de Viseu, a mais preciosa é o prazer de descobrir com amigos o que de melhor Portugal tem.


in Turismo de Portugal

sexta-feira, 28 de março de 2008

Funerária...

Caixão aberto em montra de funerária dá polémica


Uma urna aberta, visível do exterior, e umas frases escritas no vidro da montra de uma funerária de Viseu, estão a causar polémica.
E a dividir opiniões.
Uns falam em publicidade "macabra" e outros em marketing "brilhante". O caixão está exposto há mais de um ano, mas só agora começaram a ouvir-se vozes contra e a favor. "Por aquilo que sei, a vizinhança está contra. Eu também estou. A morte já dói, mas mostrá-la daquela maneira magoa ainda mais", protesta Zulmira Neves, proprietária de uma loja de confecções no interior do edifício D. João I, junto ao quartel dos bombeiros municipais, local onde está localizada a funerária "Prestígio".
As frases da polémica, escritas no vidro da montra ("Pense bem! Para quê tanto ódio? O nosso fim é aqui..."), indignam alguns transeuntes. "Eu acho chocante", diz, irritado, João Gervásio, 76 anos. "Sei que vou morrer e também sei que serei enterrado dentro de um caixão, mas isso é uma coisa que deve merecer reserva, não é para estar escrita numa montra de vidro que toda a gente pode ler, até crianças", protesta João Gervásio.
Opinião contrária tem Júlio Antunes, que acha a ideia "brilhante, honesta e verdadeira" e até "despida de preconceitos". "Não sei porquê tanta polémica sobre frases tão certeiras", desabafa Júlio. "Para quê tanto ódio se o nosso fim é mesmo debaixo da terra?", acrescenta. O JN tentou, de forma insistente, mas sem sucesso, obter uma reacção da gerência da funerária.
Rui Bondoso in Jornal de Noticias (28-03-2008)

quinta-feira, 20 de março de 2008

Feliz Páscoa

A Páscoa é sempre no primeiro Domingo depois da primeira lua cheia depois do equinócio de Primavera (20 de Março).
Esta datação da Páscoa baseia-se no calendário lunar que o povo hebreu usava para identificar a Páscoa judaica, razão pela qual a Páscoa é uma festa móvel no calendário romano.

Este ano a Páscoa acontece mais cedo do que qualquer um de nós irá ver alguma vez na sua vida! E só os mais velhos da nossa população viram alguma vez uma Páscoa tão temporã (mais velhos do que 95 anos!).


1) A próxima vez que a Páscoa vai ser tão cedo como este ano (23 de Março) será no ano 2228 (daqui a 220 anos).

A última vez que a Páscoa foi assim cedo foi em 1913.


2) Na próxima vez que a Páscoa for um dia mais cedo, 22 de Março, será no ano 2285 (daqui a 277 anos).

A última vez que foi em 22 de Março foi em 1818. Por isso, ninguém que esteja vivo hoje, viu ou irá ver uma Páscoa mais cedo do que a deste ano.

Aproveitamos a oportunidade para desejar uma Páscoa feliz!

quarta-feira, 12 de março de 2008

Obras no Rossio mudam o trânsito

A requalificação urbana que decorre em várias zonas da cidade de Viseu vai chegar, brevemente, à Praça da República ou "Rossio" como é mais conhecida.
A intervenção incidirá na renovação do mobiliário urbano (bancos, papeleiras e candeeiros, neste último caso com a multiplicação de um protótipo que está há vários meses em exposição), reforço da iluminação do edifício dos Paços do Concelho, onde funciona a Câmara Municipal de Viseu (CMV), e iluminação do painel de azulejos (obra de Joaquim Lopes, de 1931, que retrata várias actividades da região) junto ao Jardim das Mães.


Ampliar a área pedonal de uma zona que funciona como "passeio público" dos cidadãos e "sala de visitas" da cidade é o objectivo da CMV ao projectar o prolongamento do empedrado do Rossio e do Jardim Tomás Ribeiro até ao actual Tribunal Administrativo e Igreja dos Terceiros.

"Vamos nivelar passeios e rua sem cortar o trânsito", explica o autarca Fernando Ruas. Outro projecto previsto para o Rossio passará pela construção de uma zona de atravessamento para invisuais.

A exemplo do que tem sucedido noutros pontos da cidade, a CMV aproveitará a requalificação urbana para introduzir algumas da medidas preconizadas no estudo de reordenamento viário e pedonal que está a ser elaborado pelo Instituto Politécnico de Viseu e Faculdade de Tecnologia de Coimbra, através da equipa liderada por Álvaro Seco. Está neste caso a avenida Alberto Sampaio, que passará a ter um único sentido, o ascendente, entre as praças D. João I e da República. Os automobilistas poderão, no entanto, cortar para outras direcções pela rua dos Casimiros.

"Vamos renovar as condutas de saneamento básico, criar estacionamentos em espinha e apostar no alargamento dos passeios para que as pessoas possam circular mais à vontade", disse Ruas.

Ainda no Rossio, os automobilistas deixarão de aceder directamente à rua Gaspar Barreiros. A alternativa é subir e inverter a marcha na 25 de Abril, junto ao cruzamento com a avenida Gulbenkian, onde será construída uma pequena rotunda.



Texto de Teresa Cardoso in Jornal de Noticias (12-03-2008)

terça-feira, 11 de março de 2008

Euro2008: Scolari anuncia convocatória a 12 de Maio em Viseu

Luiz Felipe Scolari vai anunciar a convocatória final para o Euro2008 no dia 12 de Maio, em Viseu, às 20h00. A selecção nacional entra em estágio no dia 18 de Maio e vai realizar 13 treinos na cidade, seis deles à porta aberta para o público.
O encontro particular frente à Geórgia, último teste antes da fase final da competição, está marcado para 31 de Maio, às 18h15. O jogo realiza-se no Estádio do Fontelo.
Programa da Selecção em Viseu:



Mais estacionamento no centro histórico

Foram ontem apresentados pela Câmara Municipal de Viseu os estudos prévios de dois novos parques de estacionamento subterrâneos a construir nos largos de António José Pereira, por trás do Museu de Grão Vasco, e do Jardim de Santo António, junto ao Teatro Viriato.
Os equipamentos aumentarão em 220 lugares a oferta de aparcamentos numa das zonas "mais sensíveis" da cidade de Viseu. O seu custo global está calculado em cerca de 2,2 milhões de euros.

Os quatro gabinetes de arquitectura convidados pela Sociedade de Reabilitação Urbana (SRU) Viseu Novo apresentaram propostas para os dois parques. Os documentos e respectivas maquetas serão analisadas na próxima semana por técnicos da autarquia e daquela empresa municipal.


"Feita a escolha da melhor solução, avançaremos para a adjudicação do projecto que deverá ser-nos entregue no prazo de 45 dias. Posto isso, estaremos em condições de proceder à abertura do concurso para o arranque das obras", explicou o presidente da Câmara Municipal de Viseu (CMV), Fernando Ruas.

Por saber ficou, para já, se a entidade adjudicante assumirá no futuro a gestão dos equipamentos.

Cada gabinete de arquitectura preparou duas soluções para cada um dos parques de estacionamento. Todas subterrâneas, à excepção de uma, de superfície, apresentada para o largo António José Pereira. Este equipamento terá duas dezenas de lugares e tem custos estimados de 200 mil euros. Fernando Ruas avisa que o estacionamento neste local, por razões "óbvias", será sempre mais caro "Não queremos os carros ali guardados durante todo o dia. Terá de haver uma rotação. E isso passa pelo preço a praticar".

No largo/jardim Mouzinho de Albuquerque, mais espaçoso, prevê-se um parque com capacidade para 200 lugares. O investimento neste caso eleva-se a dois milhões de euros. As obras integram-se no Plano Estratégico para o Centro Histórico que está a ser desenvolvido pelo Parque Expo, documento que prepara uma resposta global para a Área Crítica de Recuperação e Reconversão Urbanística de Viseu.

Estão ainda previstos mais dois parques para as ruas Capitão Silva Pereira e Maximiano Aragão.

texto de Teresa Cardoso in Jornal de Notícias (11-03-2008)

segunda-feira, 10 de março de 2008

Viseense Joaquim Videira garante presença em Pequim2008

Joaquim Videira, na disciplina de espada, apurou-se, este fim-de-semana, para os Jogos Olímpicos de Pequim

O atirador português Joaquim Videira tem já assegurada, matematicamente, a presença na competição de espada individual dos Jogos Olímpicos Pequim2008, depois de ter terminado, sábado, o Grande Prémio de Estocolmo na 36.ª posição. O atirador subiu ao nono lugar na lista provisória de espada individual de apuramento para os Jogos Olímpicos Pequim'2008, o que, com os resultados por equipas de domingo, lhe garantiu a presença nos Jogos.

Nome: Joaquim Filipe Ferreira dos Santos Videira
Naturalidade: Viseu, Portugal
Data de Nascimento: 1984/01/12
Habilitações Literárias: Bacharelato em Engenharia Electrotécnica no Instituto Militar dos Pupilos do ExércitoLicenciatura em Engenharia Electrotécnica e de Computadores na Faculdade de Engenharia da Universidade do Porto

domingo, 9 de março de 2008

Região de turismo lança rotas turísticas

Já a partir deste mês de Março, a Região de Turismo Dão lafões (RTDL) vai lançar quatro rotas turísticas temáticas, traçadas na cidade de Viseu, a partir das quais os turistas poderão partir à descoberta "de um mundo de experiências" em toda a região Dão Lafões.
A ideia, operacionalizada pela RTDL, surgiu a partir de um conjunto de reflexões em conjunto com a Universidade Católica e o Instituto Politécnico de Viseu e visa criar um produto organizado que atraia turistas a Viseu.
"Temos que considerar que Viseu tem que passar a constituir um destino turístico. Tem potencial para o ser, mas ainda não o é, precisa de operacionalizar as suas marcas importantes", justifica o presidente da RTDL, Adriano Azevedo.
O mote escolhido para as quatro rotas são "figuras lendárias por si só atractivas": Viriato, Grão Vasco, Amor de Perdição (livro de Camilo Castelo Branco) e Aquilino Ribeiro. Adriano Azevedo considera que a região só pode ser um destino turistico se tiver" em Viseu "a atracção mais forte de todas, pela cidade e pelas suas figuras transversias à história".
As quatro rotas já devidamente estruturadas estão a ser comercializadas pelas agências de viagens - para já apenas pela agência Abreu - e serão operacionalizadas no terreno pelas empresas de animação, pelos hotéis e pelas termas da região, sendo os frequentadores acompanhados por guias turistos na cidade.
O turista pode comprar um pacote de dois ou três dias. Escolhe uma das rotas, que a partir de Viseu, o leva depois a um conjunto de experiências que podem passar pelos spas termais, pelo desporto activo nas serras ou nos rios da região, por visitas a aldeias típicas, por uma experiência de Golfe, hipismo e visitas às quintas do vinho do Dão.
"Estas rotas vão permitir ao turista fazer coisas que não faz em mais lado nenhum do país, como fazer a rota aquiliniana, a rota da água em Vila Nova de Paiva. E é isso que é importante, porque é isso que permite competir com a actividade turística", reforça Adriano Azevedo.
O responsável realça que os pacotes turísticos vão poder ser adquiridos nas agências de viagens mas também pela internet através do site da RTDL (www.rtdaolafoes.com), onde é possivel fazer a inscrição e escolher o pacote desejado.
Adriano Azevedo acredita que a medida vai fazer crescer o número de turistas na região, já a partir do próximo Verão. No entanto, o presidente da RTDL admite que a iniciativa só conseguirá os resultados pretendidos quando houver uma verdadeira recuperação do centro histórico de Viseu.

Rota de Viriato/ Viseu dos Romanos à Idade Média
A rota começa junto à Cava de Viriato, passa pela casa da Ribeira, pela Rua Direita, a Rua Formosa, pelo centro histórico e termina com um passeio em torno da Sé Catedral
Rota de Grão Vasco/Viseu do Renascimento
A rota começa junto ao Museu Grão Vasco. Segue-se uma visita aos claustros D. Miguel da Silva e ao interior da Sé onde se encontra o Museu de Arte Sacra. Percorre a Calçada da Vigia, o Largo Mouzinho de Albuquerque e a Porta dos Cavaleiros. Termina no Fontelo.
Rota Amor de Perdição/Viseu Romântico do século XIX
A rota tem como centro o Largo Mouzinho de Albuquerque onde se pode observar o local que foi cenário do filme baseado no livro "Amor de Perdição" de Camilo Castelo Branco, ao cineasta Manoel de Oliveira. Inclui outros solares e igrejas que ilustram a época.
Rota Aquilino Ribeiro/ Viseu
Republicano do século XXA rota começa na Rua do Arco junto à Porta dos Cavaleiros, por onde Aquilino Ribeiro terá entrado pela primeira vez em Viseu. É das rotas mais preenchidas, com a particularidade de ter uma paragem no parque da cidade com o nome do escritor. Termina no Paço do Fontelo onde Aquilino esteve preso e de onde se evadiu.

Texto deEmília Amaral, Jornal do Centro, ed. 312, 07 de Março de 2008

sábado, 1 de março de 2008

Obras de arte da diocese em exposição no seminário

Oitenta obras de arte pertencentes à diocese de Viseu vão ser mostradas ao público na exposição “Da Palavra à Imagem”, a inaugurar hoje, às 16H30, no Seminário Maior, no Largo de Santa Cristina.A maioria delas pertence às colecções do Seminário Maior de Viseu, do Seminário Menor de S. José (Fornos de Algodres), recentemente encerrado, e do Paço Episcopal. Muitas destas

obras nunca foram expostas, sendo por isso desconhecidas do grande público. As quatro pinturas da Escola de Grão Vasco, pertencentes ao acervo do Paço Episcopal, que também vão estar na exposição, apenas foram apresentadas ao público em Viseu, no ano de 1944, numa exposição diocesana de arte sacra, e fizeram parte de exposições sobre Grão Vasco realizadas em Lisboa, em 1992, e outra em Salamanca Capital da Cultura 2002.
A iniciativa é do recém- -criado Departamento dos Bens Culturais da Diocese de Viseu, que diz estar “consciente da importância do seu património cultural”, pretendendo por isso desenvolver iniciativas que “promovam o seu conhecimento, conservação, valorização e dinamização”.
Segundo os organizadores, “a articulação entre a Palavra Bíblica e a Imagem” é o fio condutor dos cinco núcleos expositivos, que formam a exposição: A Palavra Geradora, a Palavra Anunciada e Cumprida, A Palavra Testemunhada, a Palavra Celebrada e a Luz da Palavra.

Com esta iniciativa, a Diocese de Viseu pretende também a dinamização do espaço do edifício do Seminário Maior, onde “a portaria, o claustro, as escadas suspensas e a igreja constituem espaços de referência da arquitectura barroca de Viseu”.
António Figueiredo in Diário As Beiras (01-03-2008)

Geração.com

in Diário de Viseu (28-02-2008)