quarta-feira, 12 de março de 2008

Obras no Rossio mudam o trânsito

A requalificação urbana que decorre em várias zonas da cidade de Viseu vai chegar, brevemente, à Praça da República ou "Rossio" como é mais conhecida.
A intervenção incidirá na renovação do mobiliário urbano (bancos, papeleiras e candeeiros, neste último caso com a multiplicação de um protótipo que está há vários meses em exposição), reforço da iluminação do edifício dos Paços do Concelho, onde funciona a Câmara Municipal de Viseu (CMV), e iluminação do painel de azulejos (obra de Joaquim Lopes, de 1931, que retrata várias actividades da região) junto ao Jardim das Mães.


Ampliar a área pedonal de uma zona que funciona como "passeio público" dos cidadãos e "sala de visitas" da cidade é o objectivo da CMV ao projectar o prolongamento do empedrado do Rossio e do Jardim Tomás Ribeiro até ao actual Tribunal Administrativo e Igreja dos Terceiros.

"Vamos nivelar passeios e rua sem cortar o trânsito", explica o autarca Fernando Ruas. Outro projecto previsto para o Rossio passará pela construção de uma zona de atravessamento para invisuais.

A exemplo do que tem sucedido noutros pontos da cidade, a CMV aproveitará a requalificação urbana para introduzir algumas da medidas preconizadas no estudo de reordenamento viário e pedonal que está a ser elaborado pelo Instituto Politécnico de Viseu e Faculdade de Tecnologia de Coimbra, através da equipa liderada por Álvaro Seco. Está neste caso a avenida Alberto Sampaio, que passará a ter um único sentido, o ascendente, entre as praças D. João I e da República. Os automobilistas poderão, no entanto, cortar para outras direcções pela rua dos Casimiros.

"Vamos renovar as condutas de saneamento básico, criar estacionamentos em espinha e apostar no alargamento dos passeios para que as pessoas possam circular mais à vontade", disse Ruas.

Ainda no Rossio, os automobilistas deixarão de aceder directamente à rua Gaspar Barreiros. A alternativa é subir e inverter a marcha na 25 de Abril, junto ao cruzamento com a avenida Gulbenkian, onde será construída uma pequena rotunda.



Texto de Teresa Cardoso in Jornal de Noticias (12-03-2008)

1 comentário:

beirão disse...

De facto, a situação aberrante do acesso à Rua Gaspar Barreiros, que se mantém há muito e teimosamente contra todas as boas regras de circulação e segurança, podia ser fácilmente resolvida com a inversão do seu sentido de transito, o mesmo se passando com a Rua da Vitória, para compensação dos fluxos.