segunda-feira, 21 de março de 2011

Comboios *

1. No dia 17 de Março de 1907, há exactamente 104 anos e um dia, realizou-se em Mangualde um grandioso comício acorrido pelo povo de todos os aderredores.

Presentes as forças vivas da região: deputados eleitos por Viseu e Guarda, presidentes das câmaras de Mangualde, Viseu, Gouveia, Penalva do Castelo e Manteigas. Os governadores civis de Viseu e Guarda não estiveram presentes mas fizeram chegar o seu apoio por telegrama, para júbilo e hurrahs! dos presentes.

A região juntou-se toda para exigir a construção de uma linha férrea de Gouveia a Viseu. O deputado Rodrigues Nogueira, num discurso informado e eloquente, alinhou números, razões, demonstrando o atraso da região centro sempre desprezada pelos governos.

Esta e muitas outras histórias podem ler-se no excelente “Viseu – Roteiros Republicanos”, de António Rafael Amaro e Jorge Adolfo Meneses, editado no ano passado por ocasião do centenário da república.

Passaram os anos, passaram empenhos e manifestações. Os lamentos nos jornais continuaram: “Nenhuma cidade de Portugal, da categoria de Viseu, deixa de ser servida por um caminho-de-ferro de via larga.”

Desde 1989 ainda é pior: nem via larga, nem via estreita.

No início do século XX, foram feitos projectos para várias linhas e que foram aprovados pelos governos:

(1) Gouveia – Mangualde – Viseu;

(2) Régua – Lamego - Tarouca – Moimenta – Sernancelhe – Vila Franca das Naves;

(3) Viseu – Sátão – Aguiar da Beira – Ponte do Abade – Vila da Ponte – Foz Tua.

Como se vê, a coisa não é só de agora. Viseu sempre teve muitos comboios.

De papel.
 
*Joaquim Alexandre in Jornal do Centro de 18 de Março de 2011
Estação Comboios de Viseu








2 comentários:

Castanho disse...

Acabaram com o comboio... e o burro sou eu????

Luis disse...

Desculpe! o burro sou eu!